Em entrevista transmitida nesta quinta-feira (07), governador apontou soluções para conter a violência no país; êxito depende de ações integradas de segurança pública.

Em entrevista concedida ao Jornal da Itatiaia 1ª edição, nesta quinta-feira (07), o governador Antonio Anastasia defendeu que União, estados, municípios e sociedade atuem em rede, de uma maneira mais integrada e solidária, para conter o avanço da criminalidade no país. “O combate à violência não pode ser feito, exclusivamente, por uma esfera de governo. Isso é impossível”, afirmou, ao comentar os dados divulgados pelo Anuário Brasileiro de Segurança Pública.

“Jamais uma esfera de governo vai conseguir combater de modo efetivo a violência que, hoje, virou uma marca da sociedade brasileira. Precisamos de algo como se fosse um pacto nacional contra violência”, acrescenta. Antonio Anastasia esclarece que os estados não têm condições de gastar 100% dos recursos com a construção e a manutenção de penitenciárias.

O governador também destacou os investimentos realizados pelo Governo de Minas na área de segurança. Nos últimos 10 anos, a capacidade do sistema penitenciário estadual saltou de 5 mil para mais de 40 mil vagas. Apesar do incremento substancial e do investimento complementar em policiamento, viaturas e investigações, Anastasia reconhece que é preciso continuar trabalhando em novas medidas e ações para mitigar a violência. “Nós temos que agir de forma preventiva, o que é feito de várias formas”, defende.

Segundo o governador, a criminalidade também é combatida com a geração de empregos, a melhoria da infraestrutura e a mudança de pensamento da sociedade, que deve ser mais participativa. “O que é mais difícil, e talvez não se revolva em uma geração, é mudar a consciência das pessoas. Mudar o ambiente de violência para um ambiente de paz. Essa modificação tem que ser mais profunda”, frisa.

Outra solução apontada pelo governador durante a entrevista é a mudança da legislação e do Judiciário, que deve oferecer bons exemplos, como o fim da impunidade. “A legislação penal hoje é benevolente. A polícia prende, a pessoa é levada até a delegacia e é solta, independente de vaga ou não, porque a lei permite”, exemplifica Anastasia, que também defende as iniciativas de combate e prevenção às drogas como medidas para reduzir a criminalidade.

O Anuário Brasileiro de Segurança Pública foi feito pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública com base, sobretudo, em dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e do Sistema Nacional de Estatísticas em Segurança Pública e Justiça Criminal.

 

Fonte: Agência Minas