A suspeita é que o motorista de JK tenha sido baleado e que o ex-presidente tenha sido vítima de um atentado.

Foi reforçado nessa quarta-feira em audiência pública da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas o pedido para que o governo do estado autorize nova perícia no fragmento metálico encontrado no crânio do motorista do ex-presidente Juscelino Kubitschek, Geraldo Ribeiro. A suspeita é de que o motorista tenha sido baleado e que JK tenha sido vítima de um atentado. Segundo o assessor da Comissão da Verdade de São Paulo, Ivo Patarra, o governador Antonio Anastasia já determinou que a Polícia Civil de Minas Gerais faça uma busca em seus arquivos para localizar a suposta bala. Segundo o laudo de uma perícia realizada em 1996, no entanto, o fragmento metálico seria um prego do caixão.

De acordo com o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil seção Minas Gerais (OAB-MG), William Santos, cópias das notas taquigráficas da reunião serão enviadas à Comissão Nacional da Verdade como maneira de pressioná-la a se dedicar mais ao caso. A OAB elaborou um dossiê detalhado sobre a morte do ex-presidente no ano passado que foi enviado à comissão. Membros da Comissão da Verdade de Minas Gerais e o presidente da Comissão da Verdade do Rio de Janeiro, Wadih Damous, também estiveram presentes. Santos considera a reunião das três comissões um passo importante para que a morte do ex-presidente seja esclarecida.

 

Fonte: Portal Uai